Stargate Atlantis no Netflix para fãs de Sci-Fi

Elizabeth-Weir-stargate-atlantis-11801818-1450-1087

Yay! Um review! Não faço algo assim faz um tempo. Ok, pessoal, Stargate Atlantis (2004). A série é um spinoff de Stargate SG1 (1997) que por sua vez teve início graças ao filme Stargate (1994). A história começa com uma equipe de cientistas e militares descobrindo um posto avançado na Antardida. Chefiados pela Doutora Elizabeth Weir (Torri Higginson), recebem a visita do General O’neill (Richard Dean Anderson ou MacGyver para os nostálgicos), acompanhado pelo Tenente John Sheppard (Joe Flannigan) que por acidente ativa uma cadeira que revela a posição da cidade perdida Atlantis. Ok. A troco de que eu estou fazendo um review de uma série de 2004, dez anos depois? Graças a Deus, hoje temos algo chamado Netflix e a série está no catálogo para o deleite dos fãs de sci-fi, Brasil afora.

Antes de prosseguir. O que é um Stargate? Nas séries, é um portão circular que contém nove símbolos que quando discados (sim, é como um telefone que você disca para visitar um ponto específico no espaço), abre passagem para outros mundos. Discado o endereço de Atlantis, a equipe da Dr. Weir com o apoio dos militares, viaja para Atlantis. Assim que eles põem o pé na cidade, todos os sistemas se iniciam reconhecendo que seres vivos chegaram. Começa a exploração da cidade, muitas partes estão submersas, pois a cidade estava em baixo da água. Eles também passam a explorar a Galáxia Pegasus e despertam os Wraith, uma raça alienígena que se alimenta de seres humanos, sugando sua energia vital até que sobre apenas um esqueleto.

Todos os elementos, a cidade perdida de Atlantis, os inimigos alienígenas são explorados de uma forma única, com muito bom humor e várias referências a outras séries como Jornada nas Estrelas, Alien e até Xena – A Princesa Guerreira. A equipe de Atlantis em guerra com os Wraith procura por auxílio em outros planetas e fazem alguns amigos como o povo de Athosian, de quem eles emprestam a líder Teyla Emmagan (Rachel Luttrell), uma guerreira especializada em combate corpo a corpo e que se torna membro fixo da expedição; e os Genii, que da primeira até a terceira temporada se declaram inimigos de Atlantis.

Aliás a terceira temporada é o fim do que eu chamo da fase clássica da série, que contém todos os personagens que aparecem desde o primeiro episódio. O cancelamento de Stargate Sg1 causou problemas para o elenco de Atlantis já que decidiram remanejar atores da série original para o spin off e as mudanças que ocorrem causam impacto no público, mas ao mesmo tempo conseguem criar uma nova dinâmica que dá a série fôlego pra mais duas temporadas. Então é isso pessoal, recomendo que quem já assistiu, reveja Stargate Atlantis e quem não viu, dê uma chance, pois vale muito a pena! Um grande abraço e até a próxima!

Visita ao Castelo Rá-Tim-Bum

Gente, foi fantástica a minha visita à exposição do Castelo Rá-Tim-Bum que está ocorrendo no MIS (Museu da Imagem e do Som), aqui em São Paulo, no bairro Jardins. Quando entrei no salão, meus olhos se encheram de lágrimas. Observar a reação dos outros visitantes também foi muito legal, a emoção de todos, uma energia bacana. Destaque para o momento em que vi o manequim com as roupas do Etevaldo, um dos meus personagens favoritos e quando cheguei ao quarto da bruxa Morgana e me deparei com o boneco da gralha Adelaide, tagarela feito eu. É uma experiência excelente que recomendo a todos e digo: corram, está acabando! Importante, o museu abre às 10h, então é uma boa chegar com antecedência e entrar na fila. Chegamos lá às 7h para conseguir garantir a entrada. Um abraço à todos!