A segunda chance de Sailor Moon nos Estados Unidos.

sailormoon-viz-media-anime-expo2014-coinstamp

Acabei há poucos minutos de assistir ao episódio 46 de Sailor Moon Classic com a nova dublagem norte americana, feita pela Viz Media, que licenciou o anime original e pretende dublar todas as temporadas incluindo Sailor Stars que nunca foi exibida nos Estados Unidos. Aliás os americanos dividem conosco algo em comum no que se refere ao anime, problemas na dublagem, adaptação e de censura. Eu não vou me estender no velho assunto versão Gota Mágica versus Estúdio BKS. Meu único comentário que permanece: prefiro a Marli Bortoletto como dubladora da Serena/Sailor Moon e a Melissa Garcia como dubladora da Ami/Sailor Mercury.

Sailor Moon teve uma nova chance nos Estados Unidos e bato palmas para o trabalho feito pela Viz Media com o anime. Todos os 46 episódios da primeira temporada foram exibidos sem cortes, no Hulu e Neon Alley. A dublagem está muito boa. Destaque para o Lucien Dodge (espero que esteja correto) dublando o Zoicite, que desta vez não foi transformado em mulher e não teve seu romance com o Kunzite podado de maneira alguma. Também me chamou a atenção o trabalho do Johnny Yong Bosch que aqui no Brasil é conhecido como o Adam, o segundo ranger preto da primeira temporada de Power Rangers, dublando o Artemis.

Gostaria muito que Sailor Moon recebesse o mesmo tratamento em nosso país, mas admito acreditar que as chances são de quase zero. No passado o anime foi licenciado por Luiz Angelotti, mas pouco foi feito pra promover e mostrar aos brasileiros todo o potencial que o anime apresenta. Me incomoda profundamente que apenas Cavaleiros do Zodíaco tenha destaque como anime no Brasil. Sailor Moon é um mangá e anime tão icônico quanto, mas por alguma razão obscura é tratado feito lixo por aqui enquanto países como a Itália só faltam criar um feriado nacional para honrar os fãs. Vale lembrar que a Editora JBC está publicando o mangá, atualmente com o oitavo volume nas bancas. Resta-me sonhar que um dia o poder do cristal de prata traga nova vida a Sailor Moon em algum serviço de streaming como o Netflix ou Crunchyroll.

Advertisements

A magia da infância e adolescência de volta graças aos animes e serviços de streaming

montagem-blog

A brincadeira começou porque a Toei resolveu lançar um novo anime de Sailor Moon: Crystal. A nova versão, muito amada por uns e fervorosamente criticada por outros, com certeza atraiu os fãs de anime para os serviços de streaming que os exibem. No meu caso, o Crunchyroll e o Netflix. Algumas pessoas dizem que depois que a gente passa dos vinte e poucos, perde-se a magia que encontramos no hábito de assistir desenhos animados ou animes. Isso não é verdade. Até a mais madura das pessoas se em contato com um pouco daquilo que fazia os tempos dourados, se enternece, mesmo que não admita. Outros já são mais sinceros com o mundo e admitem: gosto mesmo e não me importo. Meu caso 😉 Confesso que estou muito feliz com a popularização do gênero de animação japonesa nos serviços de streaming, minha vida recuperou uma energia divertida que não tinha há tempos.

Entre os meus títulos favoritos estão Blue Exorcist; a história de um meio humano, meio demônio que decide ser um exorcista. Prisma Illya, uma trama ao estilo Sakura Card Captors, só que com um toque ecchi e boas sequências de ação. Magi, com os personagens Alladin e Alibaba e seus objetos encantados por gênios; que por alguma razão me lembra Bucky, que passava na Bandeirantes. Na busca por um anime na mesma área de Sailor Moon, me deparei com AKB0048, que mostra garotas que entram para um grupo de cantoras, mas que passam por um treinamento de combate para lutar contra grupos que visam proibir música e entretenimento em vários planetas do universo. E para o pessoal mais saudosista tem Doraemon, que passava na extinta Rede Manchete no Clube da Criança, na época apresentado pela Angélica. O anime está de volta com uma dublagem muito bem feita pelo estúdio Zastrás.

Para terminar  e aproveitando o gancho da linha acima, quero deixar um recado aos serviços de streaming para que invistam um pouco mais na dublagem de seus animes que em maior parte são disponibilizados com áudio em japonês e legendas em português. Um bom trabalho de adaptação para o nosso idioma, feito com cuidado e carinho, sempre rende mais público, sejam crianças ou adultos. Eu particularmente adoraria ver as queridas Marli Bortoletto e Melissa Garcia na dublagem de Sailor Moon Crystal, aumentaria e muito a sensação de nostalgia. Espero que todos tenham gostado do texto. Um grande abraço!