Bons motivos para assistir: Cúmplices de um Resgate

11202106_1641745239370752_1720412335951561663_n

Eu era completamente apaixonado pela versão original de Cúmplices de um Resgate com a atriz e agora super famosa cantora, Belinda. Aí eles piraram e mandaram ela embora e colocaram a horrorosa da Daniela Lujan no lugar e a novela afundou feito o Titanic. Eis que um dia eu estou zapeando pelo YouTube e encontro uns vídeos da atriz Larissa Manoela, cantando. Na época ela tinha encerrado o remake de Carrossel no papel da peste da Maria Joaquina. Eu parei e pensei: essa menina vai ser a protagonista da versão brasileira de Cúmplices. Já corriam boatos de que o SBT faria um remake e dito e feito, assim como dois e dois são quatro, Larissa foi anunciada como as gêmeas da novela.

O SBT evoluiu bastante na produção de suas novelas e C1R (a sigla da novela) se beneficiou muito disso. Tem a parte infantil para as crianças que envolve a história das meninas que se conhecem, acham que são sósias e trocam de lugar para que uma faça a outra, muito desafinada, passar na audição de cantora em uma gravadora. Só que C1R também tem atrativo para o público adulto. Sim, minha gente! Através do triângulo amoroso entre Otávio (Duda Nagle), a mãe das gêmeas, Rebeca (Juliana Baroni) e a mãe da rival das gêmeas na banda, Safira (Dani Moreno). E não para por aí! Tem também uma disputa entre a igreja católica e a evangélica (surprise surprise)!! Essa trama paralela não esteve presente na versão mexicana e é interpretada pelas atrizes veteranas Mira Haar (eterna mãe do Lucas Silva e Silva) e Bárbara Bruno.

São esses bons motivos para assistir Cúmplices de um Resgate!!

Next time: Scream Queens – Nova série americana

Advertisements

Brasil: Necessidade/Prioridade vs Desejo

necessidadevsdesejo

Eis que trabalho com atendimento a pessoas e este post é um desabafo. As ofensas que eu recebo dos clientes com palavrões que não podem nem ser repetidos e os motivos? Os mais irrelevantes, completamente sem importância. O último chilique foi de uma mocinha revoltada que o celular dela não tinha recebido atualização de sistema. Quando educadamente pedi a ela que aguardasse, mandou que eu fosse me ***** e me chamou de palhaço, fez ameaças de que eu perderia meu emprego. Ora minha filha, vá caçar o que fazer.

Demais brasileiros, já pararam para pensar o devido valor que dão as coisas em suas vidas? O que é mais importante: botar comida em casa ou ter a última modificação estética no seu smartphone para pagar de gostoso com os coleguinhas? O que é necessidade/prioridade e o que é desejo? Lembro que na faculdade de comunicação estudei muito sobre isso. Meus professores me diziam, tomar água, comer, ir ao banheiro, fazer sexo. Questões que eu, nos meus vinte e pouco anos nunca tinha parado para pensar.

Agora nos meus trinta e muitos eu vejo que o que é mais importante é pagar as contas da casa, fazer a compra do supermercado, ações complementares a minha independência como pessoa, mas tantos por aí presos em detalhes cretinos como qual marca os fará aparecer mais, quantos megapixels tem na câmera. Tá comendo com qualidade? As crianças não estão morrendo afogadas na piscina? A pessoa prefere tirar um selfie a ver se o filho está indo bem na escola.

E vou bater sim na tecla da política. Os governos tão preocupados sabem com o que?  Com você poder comprar seu smartphone em 72 vezes num crediário para sua mente ficar ocupada com idiotice quando você devia estar pensando em quem cuida de nós, de nosso país. Não adianta nada ter o melhor celular do mercado se seus cadernos da escola e todos os livros que você deveria ler ao invés de ficar batendo foto da sua bunda para postar no Instagram, estão jogados num canto pegando poeira. Não adianta ter brilho na tela do aparelho, se sua personalidade é mais escura que um buraco negro porque você é superficial e sem conteúdo.

Vamos acordar minha gente, porque esse país tá afundando e vocês estão preocupados em navegar no Facebook. Quebrou o celular? Manda consertar e usa um orelhão. As pessoas esquecem que na década de 90 não existia essa tecnologia viciante que faz com um não olhe na cara do outro para ficar mandando tweet, fazendo check-in aqui e ali. E antes de ofender um atendente inocente, pensem se a vida está no lugar e onde estão suas prioridades, porque dar piti porque o Candy Crush não tá funcionando e mentir que tem criança em casa e precisa do celular, vai perder o emprego por isso, meu deus, os absurdos que eu ouço sem a menor sinceridade.

celular

É importante ter um telefone para se comunicar? É, desde que você dê o real valor a isso. Quando meu smartphone quebrou eu comprei um aparelho parecido como o acima para usar enquanto esperava ter meios para substituir o que perdi. Quando me roubaram, usei um aparelho antigo no lugar até comprar o novo. Eu também gosto de jogar no celular e acessar minhas mídias sociais, mas minha vida não é isso. Celular foi feito para falar, para ligar para mãe e dizer: oi tô bem, como está você? Não para ficar dando uma de gostoso e gatosinha enquanto o resto do mundo tá explodindo ao fundo. Como diria Silvio Luiz: olho no lance.