Não tenha medo/ No tengas miedo/ Don’t be afraid

olhodoa

Os olhos ameaçadores do futuro/Future menacing eyes.

Fim de ano é quando pensamos no futuro e no que vamos fazer da vida, no que podemos melhorar. Algumas pessoas tem medo de encarar os olhos ameaçadores do tempo adiante. Não tenham! Se chegamos até aqui, vivos e bem, vencemos o susto, derrotamos a pressão contra que a vida faz. Continuem assim e tenham um ótimo 2016!!!

En el fin de ano és cuando pensamos en el futuro, lo que hacemos en la vida, lo que podemos mejorar. Algunas personas tienen miedo de hacer frente a los amenazantes ojos del tiempo adelante. No seas asi! Si llegamos aquí, vivos y bien, se fué la contra presión que esa vida hace. Quedate asi e deseos de un gran 2016!!!

By the end of the year we always think about the future, what we’re going to do with our lives, how to improve. Some people are afraid of facing the menacing eyes from times beyond. Don’t be. If we made it here alive and well, we defeated the pressure life was puttting on us. Keep fighting and wishes of a great 2016!!!

Amo vocês, con amor, with love,

Gustavo Lemonade

Advertisements

Como arruinar o dia de um fã de anime e dublagem

tumblr_inline_nvmfb8969a1s2u68e_500

Pretty Cure é uma franquia de anime com premissa parecida de Sailor Moon: lutar pelo amor e a justiça. Infelizmente nunca foi licenciada no Brasil, por isso a ansiedade dos fãs quando a Saban, empresa responsável por Power Rangers, anunciou a versão americana de Smile Precure com o nome Glitter Force.

Passamos pelo trauma do nome tosco e hoje na estréia levamos outro golpe, a dublagem medonha que Saban/Netflix mandou fazer. As heroínas tem vozes de velhas, não de jovens adolescentes, a fada foi chamada de duende no masculino sendo que se trata claramente de uma fêmea, dublada por uma atriz ou ator de Portugal, não dá pra saber o que é, a atuação sem emoção.

Me sinto exatamente como no dia em que acordei todo feliz e sintonizei no Cartoon Network para assistir Sailor Moon R e quase precisei chamar o Samu para me buscar quando vi que trocaram o elenco de dublagem e as adaptações estavam todas erradas.

Ainda teve gente no grupo Pretty Cure Brasil do Facebook, defendendo e dizendo que a voz da protagonista parece com a da Serena/Sailor Moon. Nem a Marli Bortoletto, primeira dubladora e a Daniela Piquet, a segunda merecem tal comparação ofensiva.

Espero que o Netflix tome juízo e mande refazer em um estúdio paulista, com vozes que amamos, só assim para que eu volte a assistir, porque do jeito que está, não dá!!! Boicote já!!!

Pretty Little Liars Book Review

prettylittleliars1

Aria Montgomery, Spencer Hastings, Alison DiLaurentis, Hanna Marin e Emily Fields.

Há alguns anos surge na TV esta série. Uma viagem louca em forma de programa de televisão. Pause. O título deste post não é Book Review? Sim, é. Porém, vou usar a foto com as cinco atrizes protagonistas de PLL porque eu assisti antes de ler, mas a viagem louca também acontece nos livros.

Logo, minha irmã aparece em casa com o primeiro volume e lá vamos nós para o mundo de Rosewood – Pensilvânia. Alison DiLaurentis é uma jovem bonita e muito popular na escola. Suas melhores amigas são Aria, uma artista de cabelos coloridos, Spencer, a estudiosa, Hanna, gordinha gulosa e Emily, a esportista. Só que a amizade não dura muito tempo. Alison se volta contra suas amigas e começa a tirar vantagem dos segredos delas em benefício próprio. Certa noite, Alison desaparece. Tempos mais tarde, as quatro jovens começam a receber mensagens em seus telefones móveis assinadas por -A.

Claro que elas logo concluem que -A é Alison ameaçando expor todas as coisas erradas que elas fizeram. A esta altura, Hanna passou por um extreme makeover e se tornou a nova rainha da escola, acompanhada por sua melhor amiga, Mona Vanderwaal. O mistério de -A toma um rumo inesperado quando o corpo de Alison é encontrado enterrado no quintal da antiga casa dos DiLaurentis.

Pode ser que eu esteja descrevendo o primeiro livro de uma forma parecida com a história da primeira temporada da série, pois os dois mundos se misturam na minha cabeça, mas por ter visto antes na TV, isso também ajuda a dar forma ao livro. Sempre que eu leio, visualizo os atores, minha imaginação é fértil, até ouço as vozes.

Existem muitas diferenças entre os livros e versão televisiva. A principal sobre a identidade de -A e os mistérios em torno de Alison. Emily que na série é filha única, tem irmãos no livro e personagens que são sucesso na TV já partiram desta pra melhor há muito tempo. Outros que são pouco aproveitados, tem mais destaque na literatura.

letais

O primeiro livro de PLL se chama Maldosas. Atualmente estou lendo o décimo quarto volume: Letais. A história está emocionante e se encaminhando para o final. A Rocco ainda tem que lançar os dois últimos volumes: Toxic e Vicious. A tradução literal seria Tóxicas e Viciosas, mas espero que a editora dê um toque especial e não faça algo ao pé da letra.

Mal posso esperar pela conclusão. Até pensei em comprar os últimos dois em inglês, mas como divido a leitura com minha irmã, melhor aguardar o lançamento de todos os livros. São ao total, dezoito livros. Dezesseis sobre a história principal alternando capítulos sobre cada uma das garotas. Dois são extras. Um aprofunda a história de Alison e o outro inicia com uma sequência de capítulos sobre Hanna, depois Emily e daí por diante.

Pretty Little Liars é uma saga de livros viciantes. Deem uma chance. Vale super a pena acompanhar as deliciosas histórias destas jovens lindas e mentirosas!!!