Não tenha vergonha do que você gosta

O que você gosta é parte de quem você é. Muito do que vemos e ouvimos continua com a gente. Não devemos ter vergonha de gostar de desenho animado ou novela mexicana porque os ‘superpops’ acham que é bobeira ou coisa de gente simplória. O que parece besta pra quem se pensa superior pode carregar uma moral que tais pessoas nunca vão aprender porque fizeram pouco do meio que dissemina a mensagem.

Existem limites pro que a gente gosta e o quanto a gente estende isso a quem está próximo? Sim. A sociedade de hoje sofre de gosto duvidoso, espalhando por aí, músicas e programas que não ensinam nada, não agregam, apenas subtraem da vida da população. Pão e circo demais acabam deixando as pessoas burras.

Eu sou fã de literatura, música pop, games, cultura pop japonesa (anime, manga, toku, musica). Gosto de novelas que são bem feitas, com personagens cativantes e bons roteiros. Assistia novela mexicana. Só parei porque as produções recentes não me chamam atenção. Não escondo e nem me arrependo. Talvez eu devesse ter gasto menos dinheiro com refrigerante e fliperama, mas isso é outra história (risos).

Adoro séries de TV, mas o estilo que eu curto com certeza não é o mesmo que o das pessoas próximas a mim. Tem quem goste de ficção científica, terror, ou programas de culinária. Cada um com sua predileção e aprendizados. Orgulhe-se do que você gosta e tente compartilhar o que é bom com aqueles ao seu redor. Com sorte encontramos alguém com quem podemos ficar horas falando dos gostos em comum. Um abraço a todos e até a próxima ^^ .

britspears_iwannago_gb1.article_x4

(Ur cool, ur cool, f*ck you, I’m out – Britney Spears)

 

Advertisements

loucura-3anos

Olá meus leitores queridos, hoje é dia de festa! Sim! O blog completa 3 aninhos hoje e eu só tenho a agradecer a todos que leram, seguiram, curtiram e comentaram nos posts. Gostaria de poder citar o nome de todos, mas saibam: vocês moram no meu coração!

Recebi muitas críticas e sugestões quanto ao conteúdo dos textos, algumas delas bem curiosas como minha escrita ser fundamentada nos meus sentimentos e não em lógica. E é bem verdade, meus textos são sentimentais. A visão que eu tenho sobre o que eu assisto, o que ouço e o que vejo na mídia ou na cidade, de acordo com meu humor no dia.

Muito aconteceu nestes três anos. Eu saí de um rapaz tímido e trancado em casa numa cidade pequena do interior, pra alguém feliz e sociável que namora, vai ao cinema e convive com a bagunça deliciosa que é a cidade de São Paulo. Também amadureci bastante quanto as minhas responsabilidades pessoais, profissionais e para com as pessoas ao meu redor.

Aprendi que as vezes a solidão e o silêncio são bons companheiros quando queremos ouvir nossos próprios pensamentos, porém não se pode viver sem amigos e um amor para colocar um pouco de doce na vida. E é o que eu desejo pra todos vocês. Um pouco de razão e um pouco de loucura. Não faz mal a ninguém. Beijos e abraços e continuaremos juntos por muitos e muitos anos!!

Gustavo

English Version

Hello dear readers, it’s celebration day! Yes! The blog completes 3 years today and I want to thank everyone who read, followed, liked and commented on my posts. I wish I could name all of you, but know this: ur in my heart!

I received critics and suggestions about my texts and its subjects, some of them very curious like how my writing is based on my feelings and not logic. Its true, my texts are very sentimental. My vision of what I watch, listen or see on the media or in town, according to my daily mood.

A lot happened in these 3 years. I went from a shy guy, locked at home on a small town to someone happy, sociable, someone who dates, goes to the movies and enjoys the delicious mess the city of São Paulo is. I also matured towards my personal and professional responsibilities, and those to everyone around me.

I learned that solitude and silence are good companies when we want to hear our own thoughts, but we can’t live without friends and love to put some sweet in our lives. Its what I wish you all. A bit of reason and a bit of madness. It doesn’t hurt. Hugs and kisses and we will keep together for many and many years.

Gus

Civilidade no Metrô – SP

IMG_20150803_102400746

Bom seria se o metrô fosse assim sempre. Pessoas ajudadas, vagões e plataformas tranquilos (Foto : Gustavo Brunelli).

Uma das características da cidade em que nasci no interior é a facilidade no transporte. Acho que 90% da minha locomoção era a pé. Nunca pensei que sentiria falta.

Só que um dos detalhes de andar a pé é fazer o caminho sozinho ou com amigos. Pessoas com quem se tem uma boa convivência. Quando estamos no Metrô em São Paulo, a história muda de figura.

Apesar de anunciarem em propagandas na estação que o serviço foi eleito o melhor transporte no período 2014/2015, duvido que isso seja verdade.

O problema de convivência começa pelos funcionários e se estende aos usuários. Hoje mesmo eu presenciei um senhor da equipe do Metrô Tatuapé chamando um deficiente visual de LIXO. Os dois batendo boca no pior estilo “fúria urbana”. Fato ocorrido por volta das 13h20.

E não é a primeira vez que vejo funcionários maltratando pessoas. Quando é necessário restringir o acesso ás plataformas por algum motivo, protesto, pessoas ou objetos na linha, com certeza tem o chato que incomoda o atendente do metrô com comentários do tipo: vocês só nos prejudicam.

Realmente, chegar atrasado ao trabalho ou tarde em casa por irregularidades no serviço é bem chato, mas uma pessoa educada fazer uma pergunta na tentativa de entender a situação e ser tratada com grosseria é bem pior. E acontece muito. Os inocentes pagam o pato pela falta de educação de quem veio antes.

Sem contar casos como cadeirante ser removido do vagão pelos demais usuários pelo fato da cadeira ocupar um espaço que os não civilizados querem dispor, ou uso irregular dos assentos preferenciais, gente porca jogando lixo no chão.

Aí sabe o que sai na mídia? Segurança gato do metrô posa pra ensaio sensual. Posa pra foto do fichamento junto com o colega sem educação pra ver se dá destaque para o que precisa melhorar. Falta muito para o Metrô São Paulo poder se anunciar como melhor serviço de transporte.