Coragem para viver

Coragem para viver é um livro do autor Marcelo Cezar, um romance espírita com lições importantes e exercícios para trabalhar sua espiritualidade e a maneira como você se comporta com ela. Não faz muito tempo eu tive uma inspiração, um amigo da espiritualidade que me deu um puxão de orelha sobre estar distante dos meus estudos e proximidade com Deus.

Veio a dica para ler Violetas na Janela, um romance de Vera Lúcia Marinzeck ditado pelo espírito Patrícia e que ensina os princípios do espiritismo de maneira descomplicada. A última vez que estive no centro espírita que frequento na minha cidade natal, comentei sobre isso com meus amigos e como Coragem para Viver acabou em minhas mãos.

Fui até a livraria atrás do Violetas e observei outros livros com a mesma temática, li algumas sinopses e optei pelo Coragem. Quando comecei a ler, a mensagem inicial era sobre suicídio, o que me desanimou, não gosto do tema, mas a história é tão maravilhosa e ricas de detalhes, a forma como as tramas dos personagens se interligam manteve meus olhos bem abertos e até mudou um pouco minha percepção sobre os momentos em que as pessoas tiram suas vidas.

Minhas partes favoritas são os exercícios e como o livro ensina a tratar com os irmãos espirituais com vibrações negativas e como diferenciar o que são mensagens da espiritualidade e a personificação de nossos pensamentos em um ente que nos perturba. Às vezes achamos que aquela voz que sussurra maus conselhos em nossas mentes é um obsessor ou um ‘encosto’ como diriam os colegas de outras crenças, mas na verdade são apenas o nosso pensamento nos pregando peças.

Fica a dica desse livro fantástico e em breve farei um review do Violetas na Janela, pois pretendo comprar a coleção ‘Patrícia’ que possui os outros livros ditados por este espírito. Um grande abraço e um ótimo agosto!!

Advertisements

Leia nas entrelinhas

Oi genteee! Saudades de vocês, muitas coisas acontecendo na minha vida, mas o Loucura continua por aqui, um reflexo da minha mente, do meu coração, dos meus sentimentos. Sei que eu vivo falando que o Facebook não presta para mais nada e que só tem post de receita, política e religião. Tudo bem que os dois últimos são assuntos bem sérios, mas banalizaram de um jeito que às vezes irrita.

Eis que abro meu Face hoje e me deparo com esse maravilhoso vídeo, uma combinação de dança, artes plásticas e um apelo para direitos iguais no que se refere ao amor. Todo amor é igual, mas as pessoas insistem em rotular e falar beijo gay, sexo gay, etc.  A Globo fez questão de divulgar para todos a cena de sexo entre os personagens dos atores Caio Blat e Ricardo Pereira na novela Liberdade Liberdade. Em alguns programas se referindo ao assunto como a cena de amor entre dois homens há muito necessária na TV brasileira.

Aliás esta cena em minha opinião foi um desastre, pois o Caio Blat tentou expressar o amor, a felicidade de viver aquele momento e o Ricardo parecia uma tábua, completamente inexpressivo, não erotizaram, tentaram ser delicados, mas o resultado final não me agradou porque faltou envolvimento de um dos atores.

O vídeo acima traduz de maneira sublime e não vulgar o amor entre duas pessoas que poderia ser descrito como amor entre dois homens, entre duas mulheres, mas a ideia é que as pessoas se amem sem parar para pensar no que são, que nome tem. Amor, simplesmente amor. Emocionante, aquece o coração.

Nasci na década de 80 e fui criado numa sociedade que para tudo apontava e dizia que é errado. Que o fato de duas pessoas que não são um homem e uma mulher se amarem tinha que ser algo a se ler nas entrelinhas. Não falar sobre isso, deixar subentendido. Sonho com um dia em que manifestações como esse vídeo não sejam um chamado ao bom senso e sim uma expressão artística sobre duas pessoas que são felizes e não precisam ter vergonha disso. Uma boa noite, beijos, abraços e uma boa semana!!! 😀