Leia até o final – Sailor Moon: escolhas do licenciador no Brasil divide base de fãs

Resultado de imagem para sailor moon thorn

Sim, existem coisas mais importantes que falar sobre um universo que compreende quadrinhos japoneses, animação e produtos relacionados, como falar sobre pessoas que passam fome, que não tem renda e educação adequada, mas o exemplo que eu vou desenvolver nesse post pode ser aplicado a outras coisas importantes no mundo, pois é um exemplo sobre UNIÃO.

Eu já falei antes no blog sobre como sou fã de cultura pop japonesa, em particular animes e séries tokusatsu e uma das minhas grandes paixões é Sailor Moon. Infelizmente as decisões tomadas pelos responsáveis pela licença do anime no Brasil dividiram a base de fãs de maneira permanente. Não há o que façamos, não conseguimos nos unir para demonstrar que somos relevantes.

O licenciador sempre argumenta que não existem fãs o suficiente de Sailor Moon para trabalhar o produto no Brasil. Da mesma forma que não existe relevância para o governo investir em bases sólidas de educação, saúde e alimentação porque como brasileiros estamos tão divididos que não conseguimos pensar no bem comum. É importante que todas as pessoas tenham o mínimo pra viver. Ah, mas no que isto se aplica a um anime? Não tem nada a ver, é irrelevante. Pois é, exatamente por isso que estamos sem uma das nossas principais válvulas de escape, uma história que valoriza exemplos como amizade, amor e família. Porque as pessoas julgam como não tão importante. Tudo que nos faz feliz deve ser julgado importante.

O primeiro erro do antigo licenciador, isto na época em que estreiou na Rede Manchete na década de 90 foi considerar o anime uma tentativa vã de manter o sucesso de séries como Cavaleiros do Zodíaco, que na minha opinião não por acaso pertence ao mesmo e atual licenciador de Sailor Moon. Na época que o anime foi lançado, toda a linha de brinquedos foi lançada e esgotou rapidamente nas lojas. Infelizmente outro erro foi utilizar a Rede Manchete, pois apesar de ser muito amada pelos fãs de cultura pop japonesa, já se sabia ser uma emissora com o pé na cova.

O segundo erro do licenciador já nos anos 2000 quando o anime voltou pelo Cartoon Network e foi aqui que nós fãs fomos separados e condenados a uma gerra interminável, a completa troca do elenco de dublagem. Não vou citar nome de estúdio nem de dublador e nem de diretor, mas um anime que tem 5 temporadas, ter sua primeira temporada dublada em um estúdio e as outras quatro que é mais da metade do material em outro estúdio por que parecia mais barato na época, isso nos marcou para sempre.

E infelizmente hoje quando se argumenta com o licenciador: porque Sailor Moon não passa na tv paga, num serviço de streaming que seja. Porque Sailor Moon não tem tantos fãs assim. Discordo, somos muitos, mas não chegamos a um acordo e o licenciador mais interessado numa base de fãs sólida como a de Cavaleiros do Zodíaco, volta toda sua atenção para estes fãs, pois são eles que vão dar lucro.

Este texto não é nem para falar: ei, vamos nos unir e pedir para que os duzentos episódios sejam redublados e o novo anime venha para o Brasil. Eu não tenho mais essa esperança. E sim para pessoas que gostam de pensar porque as coisas são como são e não de uma maneira mais agradável para todos. O que vale para todos os outros assuntos das nossas vidas.

 

Advertisements

Guardiões da Galáxia Vol. 2

Resultado de imagem para guardians of the galaxy vol. 2

Ontem eu fui com uma amiga querida ao cinema assistir a Guardiões da Galáxia Vol. 2 e super recomendo a todos vocês que são fãs do Universo Marvel. O filme tem uma trilha sonora fantástica e cenas de ação maravilhosas assim como cenas cômicas que me fizeram rir muito.

Confesso que não sou muito entendido em Guardiões da Galaxia, meu conhecimento da Marvel fica mais na área do Homem Aranha e dos X-Men e agora graças ao filme me tornei fã dos Guardiões.

Gostei que eles não sexualizaram demais o Starlord em função do interprete e isso acabou por realçar o lado inocente do personagem, pois os Guardiões tem muito dessa coisa de briga entre amigos, um aspecto jovem do grupo.

Uma mensagem bonita que o o filme passa é justamente sobre amizade e família. Muitas vezes nossa família são os amigos que escolhemos. Este tema é muito debatido no filme com um destaque especial para a Gamora e a Nebulosa, interpretada pela minha querida Karen Gillan (Amy Pond em Doctor Who).

E aí, é fã da Marvel e dos Guardiões? Corre pro cinema e bom filme!!!

Oitavo andar – A sabedoria de Clarice Falcão

Eu vou agradecer para sempre a Clarice Falcão por essa música. Oitavo Andar será sempre meu hino para momentos de término de relacionamento. Porque que eu não escolhi a Essa É Pra Você em que ela diz que não aguenta mais o namorado, que a relação acabou há muito tempo e ele não tinha percebido. Porque não escolhi essa?

Porque eu não vou dizer essas coisas cruéis para outro ser humano. Então eu vou de Oitavo Andar mesmo porque no final das contas quando a porta tiver sido fechada eu poderia me atirar de uma janela no oitavo andar, mas serei sempre a pessoa que dá meia volta e come a torta inteira de amora no jantar. Não tenham medo da torta, ela é nossa amiga!!

Gordofobia: não pratique com os outros nem com você

Resultado de imagem para gordofobia

Nesta semana eu recebi via Facebook um vídeo sobre Gordofobia. É uma palavra no mínimo interessante porque a fobia é um medo de que as pessoas tem de alguma coisa, mas porque deveríamos ter medo de uma pessoa que está acima do peso? Ela continua sendo um ser humano como todos os outros.

Eu vivi a gordofobia na pele. Comentários do tipo: não pegue dois pedaços de doce, olha para o seu tamanho. Ou ‘amigos’ magros que a partir do momento que perceberam que eu estava ganhando peso não olharam mais na minha cara. Uma pessoa que falava comigo todos os dias, um dia me olhou, viu que eu estava diferente e nunca mais falou comigo. Simples assim.

Em relacionamentos então a coisa é pior ainda. Você vai achar que um pessoa magra que namorava com você vai deixar de gostar de você porque você engordou. Não, a pessoa também tinha problemas de peso e estava comigo pra dizer: olha como meu namorado é bonito, magro. Aí quando eu engordei essa pessoa correu o mais rápido possível para bem longe.

Nesse momento eu comecei a praticar a gordofobia comigo mesmo. Peguei ódio das minhas roupas, de sair pra comprar roupa. O errado era eu. Foi um longo processo até eu entender que minha genética havia mudado e que eu deveria cuidar da minha saúde não para me render ao modelo que apenas pessoas magras são bem sucedidas e sim cuidar da saúde para ter uma vida longa e feliz.

Quando a coisa sai do controle precisamos pedir ajuda, pois ao entrar em um terreno de obesidade agressiva a disposição diminui. O corpo dói muito então não conseguimos nos exercitar, as tarefas em geral se tornam um problema.

Então: as pessoas não são feias porque estão acima do peso. Elas não deixam de ter valor pra sociedade, elas não deixam de namorar por isso, não deixam de viver, de sair de casa, de ir ao cinema. Eu adorei aquele comercial da Skol. Vergonha? Vergonha de que? Põe esse corpo no sol. Beijos e coragem, estamos todos unidos para nosso bem maior!!

 

Os pilares do bem estar

 

bemestar

No meu texto anterior eu falei sobre término de relacionamento e como podemos encontrar apoio para esse momento delicado. O que me fez pensar sobre os pilares do bem estar: família, amigos, saúde e religião. Claro que existem outros e subdivisões destes que eu citei, mas para pensar é preciso começar por algum lugar, certo?

No meu caso existem pessoas na família que são de grande ajuda. Então não aconselho fechar os olhos para essas pessoas. Em momentos de desespero existe a tendência a se sentir completamente sozinho. O que leva ao próximo pilar que são os amigos.

Amigos podem ser pessoas da sua família que cuidam de você e pessoas que a vida pôs no seu caminho e que acabam sendo uma segunda família, fortalecendo o primeiro pilar. Procure por estas pessoas, elas existem, acredite. O terceiro pilar, em minha opinião é a saúde.

Aqui a gente quebra a saúde em três aspectos que vão levar ao último pilar que é a religião. Existe a saúde física, a saúde mental e a saúde espiritual. A saúde física é a que você precisa cuidar, fazer um checkup completo, praticar exercícios, mesmo que seja apenas uma caminhada todos os dias. Isso vai te permitir continuar vivendo. A saúde mental e espiritual andam par a par. Há quem cuide da saúde mental com a saúde física que seria um tratamento psiquiátrico, com medicamentos e com terapia e há quem cuide com religião.

Religião é um tópico complicado porque normalmente quando se fala de religião se pensa na religião católica, o formato de que existe Deus, o céu, o inferno e por aí vai. Existem pessoas que tem religião mas não são católicas, eu por exemplo gosto da doutrina espírita, mas existem os evangélicos e existem pessoas que tem religiões diferentes de outros países e até de épocas diferentes da nossa como por exemplo ainda acreditar que os deuses da mitologia grega existem. O importante é fazer desse hábito algo que contribua para o seu bem estar geral.

Então é isso, família, amigos, saúde e religião. Todos interligados para nos proporcionar um resultado final que nos faça sentir melhor e viver melhor. Momentos de desespero todo mundo tem, hoje mesmo eu tive um, mas busquei um desses pilares, o que ajudou a me acalmar e a recuperar o controle da situação. Beijos e abraços, fiquem com Deus 😉

 

 

Fim de relacionamento: o que fazer (Atualizado)

Resultado de imagem para broken heart

O seu relacionamento terminou. O que fazer? Primeiro, não pense em se matar e nem em fazer mal a si mesmo. Você não tem culpa e vale muito mais a pena que essa pessoa que desperdiçou seu tempo. Se você tiver uma boa estrutura familiar, um bom grupo de amigos e algum tipo de crença ou religião, busque amparo nesses grupos.

Não caia na conversa de que a pessoa quer ser sua amiga. Nem dê vazão a qualquer tipo de alfinetada sobre a pessoa que você é. Não ouça pseudo conselhos de que você não é uma pessoa madura ou que você está em algum tipo de nível de maturidade em que a outra pessoa está acima. Isso não existe. O que existe é uma pessoa que não quis investir no relacionamento por inteiro e agora vem com esse papo de amizade porque no fundo não tem coragem de assumir que não quer te perder.  Todo ato tem uma consequência.

Pode ser que no futuro você esteja bem o suficiente para aceitar que essa pessoa continue na sua vida, mas no pós término, reserve-se, proteja-se e mantenha distância da outra pessoa. Ela fará de tudo para transferir a falta de maturidade dela para você. Eu particularmente não acredito em ser amigo de ex. Isso não existe na minha cabeça. Para mim se a pessoa não quis ficar na sua vida da forma que você desejava e sonhava, essa pessoa não merece estar na sua vida de maneira alguma. Você já deu muito do tempo em que estiveram juntos. Se esta pessoa quisesse de verdade teria ficado e lutado contigo para construir uma vida juntos.

Se você ainda acredita no amor, reserve um tempo para a recuperação. Seja o tempo que for e quanto se sentir pronto, parta pra outra. Não se sinta mal por pensar que não vai mais aparecer outra pessoa. Esse tipo de pensamento é normal e em alguns casos até é verdadeiro. Algumas pessoas são felizes apenas com a família e os amigos e não precisam de um relacionamento ou de sexo para existir no mundo.

Não tente entender o que você fez de errado. Tente entender o que você fez. Analise a situação. Uma pessoa que entra em um relacionamento com você sabendo quais são os seus termos para depois querer se isentar da responsabilidade, é valorosa?

Olhe para esses detalhes da sua vida que você já conquistou e não deixe a outra pessoa diminuir isso e tentar tirar a validade das suas vitórias porque PARECE para ela que venceu mais do que você. Foque no que há de bom na sua vida, dentro de você para que você possa continuar e se aparecer outra pessoa REALMENTE DISPOSTA a investir em você e nos seus sentimentos, ótimo!! Bola para frente!

A auto análise é muito importante para te ajudar a persistir. Se por acaso você se sentir mal e não achar que tem apoio, saiba que existem grupos que te dão atendimento gratuitamente e de forma completamente anônima, se for o caso, procure por eles e abra o seu coração. Não deixe aquele espinho plantado crescer e te fazer mal. Ocupe seu tempo com seus hobbies, pois eles vão te ajudar a distrair a cabeça. Ouça uma música, jogue videogame, assista a um filme ou a uma série. Faça o que te faz feliz.

Um grande beijo e sejam fortes! Vocês valem muito mais!!!

 

Mais um golpe midiático da Globo

Normalmente os meios de comunicação se referem a golpe midiático quando falam do Golpe Militar que completou 50 anos em 31 de março de 2014, mas toda manobra por parte dos meios de comunicação para desviar a atenção do publico de assuntos importantes, é um golpe midiático.

Resultado de imagem para golpe midiatico

As bolas da vez são o caso de assédio sexual do ator José Mayer e o caso do participante Marcos da edição 17 do Big Brother Brasil. Enquanto Brasília pega fogo com as investigações contra corrupção e as pessoas consomem carne adulterada, as emissoras de televisão tentam tapar nossos olhos com assuntos sem importância.

Não que o assédio do ator global contra a figurinista não tenha importância. Ela é uma vítima e providências devem ser tomadas, mas a forma como a Rede Globo tratou do caso é no mínimo estranha. Essa postura deles de arrastar o nome do ator na lama na maior parte dos programas da emissora acabou por fazer com que ele fosse o foco da história e não a moça que é quem precisa de atenção e cuidados.

Quanto ao Big Brother, a Globo engana os telespectadores com essa trama de que Marcos assediou Emily quando na verdade eles quiseram é dar uma ferrada no cara porque ele ousou falar mal da emissora. Tudo parte de um roteiro que estava evidente desde o começo do programa. E Deus que me perdoe estar aqui falando de BBB, mas a timeline do meu Facebook e as páginas principais dos jornais que eu leio só tem isso.

Temos que abrir o olho. Não podemos ser feitos de trouxas e aceitar a justificativa de que é entretenimento, pois é a mesma coisa que jogar uma pessoa numa arena com leões famintos e assisti-la sendo devorada. Não é porque não tem sangue que deixa de ser mórbido e imoral.