Relacionamentos e vampiros energéticos

Ontem eu recebi de uma amiga o link para um site que tem uma carta aberta referente a vampiros energéticos no que se refere a relacionamentos amorosos. Vou reproduzir o texto aqui porque é bem interessante. É importante atentarmos por esse tipo de coisa em nossas vidas pois nos envolvemos com pessoas que não tem real interesse no que a gente sente e sim no prazer que pode obter do relacionamento sem precisar se comprometer.

“Como assim você se apaixonou por mim?!” – Carta de uma alma líquida

Que facilidade e vulnerabilidade a sua de ir abrindo assim o coração!

Que fraqueza é essa em me mostrar os olhos vermelhos de choro e dizer que se envolveu?!

Meu bem, quantos anos você tem? Em que mundo vive? Em que tempo parou?

Que coração mole é esse? Que alma entregue é essa? E que conceitos antigos?!

Você não acredita em amor livre?

Como assim você foi se apaixonar por mim?

Estivemos juntos muitas vezes movidos pela química. Foi tudo tão intenso porque a vida é para aproveitar o momento. Eu só disse que te amo olhando nos olhos porque eu gosto de exercer a minha liberdade de expressão.

E você construiu um mundo em cima disso?

Ah, essas suas expectativas, você tem que olhar bem para elas e tratá-las. Não fazem bem.

Não me leve a mal, você é sim uma pessoa especial para mim, mas agora eu não tenho energia e nem tempo, ( Tenho que ir ali massagear o meu ego, tenho que fazer sucesso, ficar por cima, tenho que começar do zero…).

Desculpe, não dá tempo de conversar sobre temas essenciais com você. Tenho um mundo para conquistar. Tenho uma carreira para cuidar, tenho coisas importantes para me ocupar.

Não dá tempo de te ouvir, mas você pode vir aqui às vezes, a casa é sua! E o carinho continua. Somos amigos coloridos. Só não gosto da sua TPM, é bom a gente saber… E você vai estar sempre no meu coração, como uma dessas histórias especiais que ficam na memória.

Não chore assim, não! Eu não sabia que você era assim tão sensível, nunca foi a minha intenção te fazer sofrer. Se eu insisti tanto para ficar com você foi porque o universo conspirou (e você ficou dando uma de difícil e fechada e virou um desafio). Agora eu já peguei o que eu precisava, e eu pensei que você fosse uma mulher mais forte, livre, moderna… Dona de si!

E agora está assim, na palma da minha mão. Como pode?

Desculpe-me, mas eu lavo minhas mãos. Não posso me responsabilizar por ter te conquistado.

A dor é sua.

Fica bem!

Do seu querido Vampiro de Energia.

Fonte: https://osegredo.com.br/2017/06/como-assim-voce-se-apaixonou-por-mim-carta-de-uma-alma-liquida/

 

 

Experiências catárticas

Imagem relacionada

A morte de Buffy (Sarah Michelle Gellar)

Sob a óptica da psicanálise, catarse é o experimentar da liberdade em relação a alguma situação opressora, tanto as psicológicas quanto as cotidianas, através de uma resolução que se apresente de forma eficaz o suficiente para que tal ocorra (Wikipedia).

Basicamente é quando a gente passa por uma situação seja real ou uma reação causada por algo que lemos, vemos ou ouvimos, um filme ou uma música por exemplo. Acho que no meu caso um dos momentos em que houve catarse para mim foi assistindo ao final da quinta temporada da série ‘Buffy – A Caça Vampiros’. Eu gosto de citar exemplos que mencionem a cultura pop e esse seriado é um dos grandes ícones do que é pop na televisão.

Eu me tornei um fã dedicado do seriado, inclusive o meu livro ‘Os Caçadores e a Ameaça do Oculto’, tem uma premissa parecida por isso. E foi catártico escrever o livro porque eu peguei fatos da minha vida e recriei com um pano de fundo sobrenatural porque muitos dos desafios das nossas vidas poderiam ser resolvidos com um poder sobrenatural que nunca vamos ter e tudo seria muito mais fácil, mas infelizmente a vida real não é fácil para ninguém.

Buffy era produzido pela Fox e eles anunciaram que a série acabaria ao final da quinta-temporada. Isso aconteceu em uma época em que as informações na internet eram bem superficiais, não se tinha tanto acesso quanto temos hoje. Então eu me sentei em frente à televisão para assistir ao final e na última cena ela morre. A personagem interpretada pela atriz Sarah Michelle Gellar, salta do alto de uma torre para dentro de um portal pois o sangue dela seria a única coisa que o fecharia e protegeria a terra de ser dominada por seres infernais.

Eu chorei do momento em que ela se despede da irmã até o último momento em que eles dão um close na lápide da heroína com os dizeres: Aqui jaz Buffy Anne Summers, ela salvou o mundo muitas vezes – 1981 – 2001. O fato dela ter nascido no mesmo ano que eu também ajudou a intensificar a emoção. Ali estava a minha heroína favorita, morta. Eu fiquei péssimo, mas como na vida a gente é trollado inesperadamente, um outro canal comprou a série e fez mais duas temporadas. Ou seja, eu sofri a toa (risos).

Não exatamente, né? Esse tipo de experiência nos ensina a como enfrentar a vida. É como uma preparação para quando algo drástico acontecer. Claro, que algo assim não substitui acontecimentos reais de nossas vidas, mas dá um insight para que o tranco não seja tão forte assim. Acho que eu entendi o que o catarse é e refleti sobre o tema relembrando esses fatos. Boas catarses e epifanias são essenciais para a forma como enxergamos a vida. Beijos e abraços!! 😀